terça-feira, 30 de junho de 2009

EU SEM MIM

...Olho-me nos olhos,
...Sou apenas o espelho de mim mesmo...
Sem fonte para beber,
Sem drogas para usar,
De canto em canto,
Só a noite me encanta!
...E spelho-me nos meus rios,
...Sou tudo num mar de tantas águas...
Cheio de prosa para mostrar,
Cheio de cinema para falar,
De verso em verso,
Só a musica me sorri!
...E spero-me chegar de novo,
...Sou aquele que vejo voltar e tal...
Sem medo dos fantasmas,
Sem fé nos deuses de ontem,
De segredos e segundos
Só a mim tenho para entender!
... Saio-me bem ás vezes,
... Encontro-me só comigo...
As tuas leis já foram revogadas,
Tuas marcas ficaram por baixo,
De tudo que tenho agora sou a soma,
E o resultado de velhas novidades!
De velhos amores...

6 comentários:

sofia santos disse...

o poema ta lindo.
mas poderias comexar a escrever poemas mais alegres só um bucadinho.
bjs fofos

Ricardo Gonçalves disse...

Como escrever poemas mais alegres se a minha alma chora, se o meu corpo padece, e apenas o meu pranto chama um unico nome: "Morte"

sofia santos disse...

pois, mas nada custa tentar superar toda essa tristeza.

Chris disse...

Gostei de passar por aqui e ler as suas palavras...
abraço
Cristina Fernandes

Ricardo Gonçalves disse...

agradeço pelo seu tempo, e já agora trate-me por tu, nao sou assim tão velho, embora me sinta um

abraços

Whispers disse...

Ola!

Voltando pra te ler!

Somos almas,almas que vivemos,esperando encontrar um pouco de paz

Caminhamos,mas trazemos fantasmas....

''... Saio-me bem ás vezes,
... Encontro-me só comigo...''
Bonito teu sentir,escreve sempre, o poeta escreve dor,pra esconder a dor que tem.
beijinhos mil
Whispers