quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Desisti de Tudo Hoje

A insónia tomou o meu sono
Nada me sossega agora
A angústia tomou o meu pensamento
Nada me afasta da agonia
Resta-me o olhar fundo na alma dorida
Resta-me a encruzilhada de viver
Neste dia tudo me castiga
Neste dia tudo virou chuva grossa
Molha fundo o meu amor-próprio
Pisa bem dentro do meu peito
Como dói este dia
Em que sei que sou esquecido pelo tempo
Só queria o poder decidir
Só queria poder terminar
Este cansaço de viver
Nas amarradas da vida

Como queria este dia não estar aqui
Perdi o sono
Perdi a vontade de sonhar
Do que vale respirar
Se no fundo eu queria fechar os olhos
Adormecer no sono eterno
Viajar por entre anjos
Tocar as mais belas cedas de suas vestes
Ouvir as mais doces melodias
Sentado na mais linda nuvem
Como seria bem mais lindo meu dia
Quero fechar os meus olhos
Esquecer que estou a respirar vida
Quero fugir desta agonia de viver
Estou cansado de tanto sofrer estou cansado
Estou dorido com a vida
Sofro a dor do desprezo
Sofro a dor de injusto desejo
Sinto o cansaço a tomar-me
Queria ser insensível
Despreocupado com o sentimento alheio
Pisar quem me pisa
Queria viver como um selvagem …..
Queria desaparecer neste dia angustiante
Minhas lágrimas estão a cair frias no meu rosto
Por mais um dia que tenho de viver

"UMA PESSOA NÃO MORRE APENAS QUANDO DEIXA DE VIVER, MAS SIM QUANDO É INCAPAZ DE AMAR", perdoem-me mas desisti.

3 comentários:

Liliana disse...

Valerá a pena combater numa luta que à partida já estará perdida???

"Desistir" não é uma palavra/acto que eu goste muito mas... talvez esteja na hora de eu fazer o mesmo???

sofia santos disse...

tu podes decidir, se não decides é porque não queres.
perdes-te a vontade de sonhar...mas podes voltar a ganhá-la.
ninguém consegue ser insensível, por mais frio que séja, tem sempre a sua insensíbilidade.

Jacarée disse...

As insónias por vezes são as melhores conselheiras.
Quando chegares lá no fundo,
verás que ainda há muito para sonhar.
Depois da tempestada,
o sol brilha.