quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Som do Silêncio

Qual a paz que alguem pode
Ter, vivendo na tristeza e
Nas sombras dos teus nãos?
A ira nasce, toma conta
De um corpo morto e alma
Cansada, mas saiba que a
Plena recompença dos teus
Singelos e misteriosos sorrisos
Dão-me forças para esqueçer
Aquilo que me corroi e mata [...]
Isto que sinto, talvez jamais irei
Expressar em voz, palavras
Proferidas dos meus labios tão secos
De tanto sofejar estes sons que
Aqui neste mundo não tem a
Vida que sei que desejas, mas
Derramo aqui toda a vida que
As minhas palavras nascidas destes
Sons mortos, pois na minha escrita
No meu mundo de pautas e rabiscos
Posso desenhar-te não com linhas e
Traços e cores e sim com palavras
Onde tu, apenas tu podes compreender
Porque de ti tiro a vida para elas
Nascem de forma mais sublime
Com força suficiente para abalar
As bases deste muro de silêncio que
Agora vejo.

"Talvez letras não sejam tudo [...]"

4 comentários:

♥ ♥ Rabiscando disse...

Letras não são tudo qdo o coração guarda lembranças.

beijos!

Vampira Dea disse...

Oiiiiiiiiiii adorei o blog.
Não existiria som se não houvesse o silêncio.
Não haveria luz se não fosse a escuridão.
A vida é mesmo assim dia e noite,não e sim. ( Lulu). Abraço.

sonho disse...

Ninguem tem paz ou alegria vivendo na tristeza e na sombra dos nãos de quem se ama...mas meu poeta isso tudo um dia vai passar...e quem sabe meu querido um dia sejas tu a dizer lhe não!
Beijo de um anjo

Moonlight disse...

Meu amigo Ricardo,

É no som do silencio que nos escutamos a nós propios.
Amigo,sei que estás passando um mão momento,mas acredita que derivado a ele presenteia-nos com maravilhosas e belas palavras,que tanto adoro ler.

Um bjinho cheio de luar,pra ti meu Ricardo