quarta-feira, 4 de Novembro de 2009

Reencontro com o Amor

Querida (Vânia),

De repente comecei a recordar, sem melancolia, mas com muita doçura, o tempo em que estávamos juntos, em que partilhávamos as nossas emoções, os nossos desejos e esperanças. Recordei-me de tudo aquilo que vivemos juntos e senti saudades!
Estranho lembrar-me dessas coisas depois de tanto tempo afastado de ti, mas começo a ter a confirmação de que um grande amor não se extingue nunca, nem pelo tempo e nem pela distância.
Comecei a lembrar-me apenas das coisas boas que nos cercavam, da maneira como me tocavas, das palavras ternas que dedicávamos um ao outro, da tua maneira de me olhar (sempre um misto de amor e desejo), da temperatura do teu corpo, e foi como se eu pudesse sentir tudo outra vez, foi como se eu ouvisse novamente o som da tua voz a penetrar nos meus ouvidos.
Pensei, então, que talvez fosse possível tentarmos reviver aquela época, apesar do longo tempo em que estivemos sem contacto. Pensei que apesar de hoje vivermos outras realidades, que apesar de estarmos mais distantes, poderíamos ceder, sem nenhum temor, a este sentimento belo e forte que nos uniu um dia e que, pelo menos em mim, parece estar mais vivo do que nunca!
Pensa nisso com carinho, querida!

Recebe um beijo do sempre teu,
(Ricardo)

3 comentários:

sonho disse...

Meu querido poeta...a distancia traz saudades...mas quando se ama jamais traz o esquecimento...espero que a tua amada pense com carinho e os dois vivam e revivam esse amor que te tem consumido...
Beijo de um anjo

Moonlight disse...

Meu amigo,

Belissima declaração de Amor!!!
Desejos de coração que seu apelo seja atendido.

P-S-muito dificil encontrar voce!!!

Bjinho cheio de luar

Mallika disse...

O amor nao termina
Transforma-se
Priemeiro em dor
Depois em saudade.
Virando em fim no fim
Pó de vida
Que preenche a frissuras do nosso coraçao.

Parabéns pelas letras.