terça-feira, 7 de julho de 2009

Poderia ser nada... e isso bastaria

Quando te sinto nos meus braços, quando me enrosco em ti,
Quando te beijo com firmeza, quando te amo naquela cama,
Quando te olho, quando te espero, quando te toco, quando te busco,
Quando enlouqueço, quando penso, quando sonho contigo,
O meu corpo reage, a minha mente viaja para longe,
E sei que poderia ser nada... e isso bastaria.

Poderia ser amarelo, vermelho, azul ou verde,
Poderia ser um estranho e viver noutro planeta ou galáxia,
Poderia ser um simples animal, irracional, como um cão ou um gato,
Um leão ou um elefante, um rato, um lagarto ou uma doninha fedorenta,
Poderia ser uma simples partícula de ar que respiras, um átomo,
Ou um ácaro com o qual te deitas sem saberes,
Poderia até não existir sequer, que apaixonado como estou,
Te buscaria e te alcançaria, onde quer que estivesses,
Mesmo que não existisses na realidade,
Recorrendo a todos os meios possíveis

E se isso fosse impossível, de nada passaria a tudo,
E tentaria novamente, e daria continuação à minha incessante busca,
Porque te amo, porque quero sentir-te nos meus braços,
Porque és parte de mim.
Porque és tudo em mim.

4 comentários:

sofia santos disse...

ta lindo este poema.
mas continuo a dizer o mesmo.
como é que ela consegue contionuar a ser tao fria contigo.
beijo fofo

Ricardo Gonçalves disse...

boa pergunta. Mas axo que ela só dara o verdadeiro valor quando alguém lhe fizer igual, ou então quando quiser ser amada e aí vai parar e analisar, julgo k aí ela vai querer de novo, aí ela se lembrará com saudade e há-de chorar por mim assim penso

sofia santos disse...

se ela um dia sofrer por isoo a culpa e toda dela, foi ela que nao quis.
beijo fofo

Chris disse...

Todas as cores na pare dum todo.
gostei
bj
Chris