quarta-feira, 4 de março de 2009

Odeio-me

Hoje odiei-me
E por vezes fiz gritante minha insatisfação
Discuti com o mundo e esqueci-me de tudo
Odiei toda a expressão possivél a um ser
Assim como odiei as flores,o sonho,o ter
Odiei o toque,o sentido,o sorriso
Odiei-me por ter nascido
Odiei o amor assim como o odio
De tudo que era possivél odiar, odiei-me
Odiei-me por amar e ainda que odiando amei
Ao odiar percebi aquilo que realmente sei
Que ao despertar
Odeio-me apenas por te amar

1 comentário:

Lili disse...

Ódio? O que é isso?

O ódio é um sentimento de profunda antipatia, desgosto, aversão, raiva ou repulsa contra algo ou alguém, assim como o desejo de evitar, limitar ou destruir o seu objectivo.

Odeias-te por a amares?! Não deveria ser o amor uma coisa boa?

A verdade é que dizem que do amor ao ódio é apenas um passo.

Pergunto-me se um dia odiaremos a pessoa que amas ou então se nos odiaremos a nós próprios por não termos sido capazes de evitar...

Já não encontro sentido nas minhas palavras... A palavra "ódio" é forte demais... tal como a palavra "amor"!